O segundo debate
Política e inteligência

Avivar memórias

Para uns, muitos, a troika passou de bestial a besta. Mas a memória não se apaga e a verdade não se esconde, nem com pequenas verdades incompletas. Há uns tempos fiz um exercício sobre o tema, sobre a ascensão e queda da defesa da troika, que poderá apetecer ler ou ver, havendo paciência. Não havendo, o que se compreenderá pois não cheguei a dar uma estrutura final ao trabalho, aqui fica a conclusão mais simples e importante: no início, a malta do PSD e junto dela mostrava, sempre que podia, que gostava muito da troika e que defendia ainda mais; para o fim, com a crescente impopularidade do "programa de ajustamento", junto do eleitorado, e com o aproximar das eleições, cada vez menos dos mesmos dizem gostar dela. Até que chegamos a esta altura em que todos dizem que nunca gostaram. O ponto de negação a que se chegou é notável. Pelos vistos, com eleições não se brinca mesmo.

Comments

Feed You can follow this conversation by subscribing to the comment feed for this post.

The comments to this entry are closed.